Arquivo para abril, 2011

Véspera

Posted in Cotidiano with tags , , on 26/04/2011 by Diego

Em uma noite qualquer, chuvosa e escura

Filas de carros brotando da estrada sem fim    

Faróis vermelhos indicam que o tempo parou  

Vejo os rostos vazios sem paz e sem luz  

 

Quem será que te espera?

Qual o caminho a trilhar?

Norte ou sul?

Só o tempo irá revelar.

 

Em meio ao caos alguém para e sorri para mim

A esperança dizendo que não terminou

Fim de uma longa espera, passos que devo seguir   

Jornada que ainda tem sol e um brilhante porvir  

__________________________________

Tive que andar um bom pedaço a pé na Rodovia do Contorno na véspera do feriado de Tiradentes (2011). Era uma quarta-feira, estava voltando do trabalho. Passei no meio da pista por diversos carros parados no trânsito.Via o desespero de alguns e a aflição para seguir viagem. Tinham placas de MG, RJ, SP, BA, ES…E fiquei pensando pra onde aquele povo tava indo, o que esperavam por eles…alguns que talvez nem chegaram. Mas depois de muito tempo, o trânsito fluiu. A chuva acabou e o feriado chegou. 

Por isso resolvi escrever essa letra e ter esse título “Véspera”!

Nossa vida também é assim. Podemos estar parados no trânsito. Sem saber o que fazer, aonde ir. Mas a Esperança sorri pra nós e nos mostra que o trânsito e a chuva passam. E o dia chegará.

Eu aguardo esse dia!

Geração Y – parte 1

Posted in Cotidiano with tags on 13/04/2011 by Diego

Estava ouvindo a CBN tempos atrás e o entrevistado falava sobre as gerações e as relações no trabalho.  Dentre algumas que ele citou, me chamou atenção a “geração Y” , a que eu faço parte.

Fiquei assustado e ao mesmo tempo curioso sobre como nossa geração, nascida após 1980, se insere no mundo atual e em suas relações sejam elas profissionais, sociais, afetivas e espirituais.

Como falei, a Geração Y é compreendida pelos que nasceram na década de 80 até início da década de 90.  É chamada também geração multimídia, devido a nossa interação simultânea entre internet, telefonia, TV entre outras mídias.

Essa interação toda, de acordo com alguns estudiosos sobre o tema, tem a ver muito com o histórico familiar,  já que os pais enchiam as crianças de presentes e diversões para compensar o abandono das gerações anteriores e estimular a auto estima dessa galera. Além disso, a TV teve forte influência em nossa infância pois nascemos nesse boom de aparelhos eletrônicos. Além disso, anos mais tarde, com o surgimento dos vídeo games e a consolidação da internet e dos PCs, nossa geração pôde experimentar todo esse avanço tecnológico de perto.

O resultado disso foi algumas características que essa geração desenvolveu: Utilização de aparelhos de alta tecnologia, trabalhos em multitelas e multitarefas, dificuldade em lidar com hierarquia e busca por altos salários no mercado de trabalho o quanto antes.

Essa geração cresceu. Não somos mais adolescentes. Estamos praticamente todos inseridos no mercado de trabalho. E essa característica de multimídia tem se difundido no mercado corporativo. Por um lado isso é positivo para as empresas, que tem aproveitado toda essa multifuncionalidade desses novos empregados, que acabam aumentando e muito a produtividade. O grande problema é a dificuldade em respeitar os superiores. Essa geração tem por característica querer tratar o seu imediato de igual para igual. Isso acaba gerando os famosos conflitos de gerações e traz uma certa dor de cabeça para a gestão de pessoas.

Outro aspecto importante é como a mídia e as empresas tem voltado seus produtos e serviços para a nossa faixa etária. São produtos eletrônicos, celulares, TV s, a indústria dos games batendo recorde de vendas, cinema, roupas, música…Enfim. A lista é gigante. E a tentação em consumir isso tudo também.

E é nesse ponto que gostaria de chegar. A geração Y tem se tornado uma geração ansiosa. É muita informação, muito a se consumir, muitas ideias e isso acaba gerando uma sensação de urgência. Não conseguimos simplesmente parar e esperar. Ficamos desesperados porque estamos chegando nos 30 e ainda não somos gerentes ou diretores. Ou não temos nossa própria empresa. E não admitimos que a paciência é necessária. Queremos subir no ônibus e já sentar na janela!

Precisamos desacelerar. Abaixar o volume da música. Aquietar. E nada mais eficaz para isso que lembrar de versículos como: “não andeis ansiosos…” ou “aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”. Lembro de José. Antes de ser o governador do Egito foi vendido pelos irmãos, injustamente acusado, preso, para depois de tudo isso Deus o levantar como segundo no comando do Egito. Deus tem um plano mas no tempo dEle. A hora é de esperar e ver Deus agir nos detalhes, moldando e nos preparando para mais tarde cumprir com eficácia o plano que tem pra nós.

Segue abaixo o link com a entrevista da vice presidente do Santander, Lilian Guimarães. Não foi a que eu ouvi mas também é bastante interessante e esclarecedora.

mundocorporativo%2Fplayer

Depois continuarei sobre este assunto detalhando alguns outros aspectos dessa geração.

Até lá!

Escolhas que marcam. O exemplo de Sansão – Juízes 13:2-5;24

Posted in Bíblia with tags on 02/04/2011 by Diego

INTRODUÇÃO

Sansão já nasceu especial. Alguém consagrado. Um nazireu (Números 6). Ele foi separado para servir ao Senhor e livrar o povo das mãos dos filisteus.

Sansão teve muitas oportunidades: Deus o abençoou, tinha uma família que conhecia a Lei do Senhor. A expectativa é que ele fosse um grande líder como Abraão ou Moisés. Contudo Sansão toma algumas atitudes que o leva a caminhos fora da vontade de Deus:

 

1º – Escolhe o que é agradável aos olhos (14:1-3)

Os filisteus eram seus maiores inimigos. Mesmo assim, Sansão ignora a opinião de seus pais.

São escolhas perigosas! Podemos até ter um sucesso imediato e achar que vai ficar tudo bem. Mas Deus vai tratar um dia dos atos que cometemos hoje.

 

2º Escolhe brincar com o inimigo (14:12)

Sansão subestima os filisteus e os provoca com uma charada. Sua noiva o convence a explicar o enigma pra ela, que acaba contando as respostas aos filisteus.

Devemos fugir da aparência do mal e resistir o inimigo (Exemplo de Jesus)

 

3º O que aparenta dar certo, às vezes não é o correto (15:20)

 

Passam-se os anos e Sansão volta a ser tentado pelo que vê (16:1). Novamente faz escolhas erradas, só que desta vez as conseqüências serão bem piores.

– Ele se deita com uma prostituta;

– Se apaixona por Dalila;

– Tem a mesma atitude de brincar com o inimigo e menospreza o que era santo, seu nazireado (16:6-7)

 

4º No tempo certo, Deus trata com o pecado (21)

 

Sansão, que fez suas escolhas baseado naquilo que via, teve seus olhos furados. Ele, que brincava com o inimigo, teve sua captura como motivo de festa e zombaria.

O Senhor trata conosco quando somos seus filhos. Pode durar 20 anos ou mais, todavia a justiça de Deus foi feita.

 

Conclusão

Sansão teve tempo de se arrepender, mas sua vida foi ceifada em conseqüência de suas escolhas. Ele livrou Israel dos filisteus porque os planos de Deus não são frustrados. Quando Sansão teve seus olhos furados, não podia mais pecar com os olhos e foi obrigado a olhar para ele mesmo.

Se você é um salvo, mas tem escolhido o mal, volte-se para Deus que é misericordioso, bondoso mas justo.