Arquivo para dezembro, 2011

O anseio furioso de Deus – FÚRIA

Posted in O anseio furioso de Deus on 27/12/2011 by Diego

1  “Restante de mim”

Cheio de contradições! Tentando juntar as partes melhores que todos gostariam que fosse. Mas acabo ficando com os cacos.

Tentando ser verdadeiro com falsidade. Enganando quem?

Acho que às vezes Deus está indiferente. Mesmo tendo quase que diariamente vislumbres de milagres.

Inseguro pela manhã, aliviado a tarde e preocupado a noite. Será isso independência de Deus?

Ainda bem que “Deus acha graça de nossas tolices”.

 

2  Deus indiferente – O grande desafio é entender o porquê de ter essa sensação,  já que isso não é uma verdade.

Mesmo assim, continuo tendo esse sentimento. Preciso lembrar a cada minuto que:

“Eu pertenço a meu amado e Ele me deseja”   Cânticos dos Cânticos 7:10

Anúncios

Sim, Senhor x Não, Senhor

Posted in Cotidiano, Uncategorized with tags , on 18/12/2011 by Diego

 

 

 

 

 

 

 

Escolhas que faço são  NÃO e SIM

Parece difícil  e é simples assim

Quando paira a dúvida em meu coração

Recorro  à Palavra que traz a razão

 

O “Não” é a tudo que o mundo no diz 

Deixar Deus nos mostrar sua vontade eficaz

Dizer “Sim” ao sedento de amor e de pão

E a Palavra, o amor e verdade


Se aos olhos do mundo o SIM é o NÃO

Preciso saber o que traz direção

Não é minha vontade que quero seguir

É a voz de Jesus que sempre vou ouvir

 

 

Estava assistindo por esses dias o filme do Jim Carrey – Sim, Senhor (Yes man), que conta a história de um cara que falava não pra tudo, até que um dia encontrou com um amigo, que lhe convidou para uma palestra de auto ajuda. A proposta era dizer sim pra toda e qualquer situação. E a partir daí ,a vida dele tomou outros rumos. Andei pensando em como podemos balancear essas duas palavrinhas tão fortes!

Alguém como Eu

Posted in Uncategorized on 16/12/2011 by Diego

Música linda composta por Stênio Marcius e interpretada por Luiz Arcanjo, vocalista do Trazendo a Arca

Entra Mestre,descansa um pouco
Estás cansado,estás sedento e rouco
Dorme Mestre, a casa é Tua
Já fechei porta e janela pra rua

Deixou me falando só
Dormiu tão pesado fazia dó
Como será Mestre este sonho Teu?
Sonhas como homem? sonhas como Deus?
Sonhas com a glória que tinhas com o Pai, na luz?
Ou sonhas com a cruz?

Perdoa Mestre, mas já é hora
Uma multidão te espera lá fora
Estás decidido, não te detenho
Vais curando até chegar ao lenho

Partiu,fica a paz em mim,
Fica sala com cheiro de jasmim
Vai verter a vida do corpo Seu,
Pra levar a culpa de alguém como eu,
Pra lavar o sujo do meu próprio eu,
Levar-me puro a Deus